OSf
VOLTAR PARA CLIPPING

Morgan Stanley Private Equity e OSF Merchant Banking formam Parceria Estratégica:

São Paulo, 28 de Março, 2012 – Morgan Stanley Private Equity anuncia hoje que está formando uma parceria estratégica com OSF Merchant Banking para buscar oportunidades de investimentos no Brasil.

Sediada em São Paulo, OSF assessora investidores internacionais financeiros e estratégicos com interesses substanciais no Brasil. A firma foi fundada pelos veteranos de private equity Hans J.Apostel e Dr.Thomas Jetter, ao lado de sócios distintos operacionais como Dr.Volker Trautz, ex-Chairman da Lyondell Basell e ex-membro da diretoria mundial da BASF, que iniciou sua carreira no Brasil com Presidente da BASF Brasileira. Os sócios da OSF já lideraram investimentos e desinvestimentos com mais de US$ 10 billhões.

"Brasil entrou num ciclo de oportunidades abundantes com um fluxo de capital inédito na história. A crescente presença de grandes fundos de investimento do exterior, assim como uma capitalização crescente de instituições financeiras Brasileiras e "family offices" com recursos cada vez maiores, faz a procura de oportunidades promissoras um esforço um tanto desafiador", comenta Hans J.Apostel. "Estamos muito contentes de poder trabalhar com a equipe da Morgan Stanley Private Equity que tem tido muito sucesso com seu foco em melhorias operacionais e menos na engenharia financeira. Uma abordagem bastante eficiente principalmente no Brasil, onde o retorno de um investimento não pode se basear na arbitragem financeira, dado o mercado e o custo de dívida nos país." "OSF Merchant Banking e Morgan Stanley Private Equity estarão focando empresas não apenas com alto potencial de crescimento, mas também com possíveis taxas de crescimento do resultado operacional com dois dígitos. Uma tese de investimento que requer um alto envolvimento dos nossos parceiros operacionais na execução da nossa estratégia", alerta Thomas Jetter. "Brasil ganhou crescente importância na alocação dos grandes fundos internacionais, para os quais private equity e emerging markets se tornaram prioridade.

"Estamos muito animados e motivados de fazer essa parceria com OSF Merchant Banking e explorar oportunidades de investimento em conjunto", afirma Alan K.Jones, Head Global da Morgan Stanley Private Equity. "OSF juntou uma equipe única de talentos com experiência individual de quase 30 anos tanto em operações complexas internacionais de private equity, como na condução de empresas globais com forte presença no mercado Brasileiro."

28/03/2012 às 00h00
Morgan Stanely fecha parceria com OSF, de Apostel, para investir em 'private equity' no Brasil Por Vinícius Pinheiro (Valor Econômico) | De São Paulo

O Morgan Stanley fechou uma parceria com a gestora brasileira OSF Merchant Banking para investimentos na compra de participações em empresas ("private equity") no país. O acordo prevê que a OSF identificará oportunidades no mercado brasileiro e realizará coinvestimentos com o banco.
Os aportes serão realizados pelo fundo global do banco, que conta com US$ 1,5 bilhão, mas não existe uma meta de investimentos para o país. O foco será em empresas de médio porte e com potencial de crescimento. A parceira brasileira do Morgan Stanley é formada por executivos experientes como Thomas Jetter, ex-sócio da Permira, uma das maiores firmas de private equity europeias. Hans Apostel, um dos sócios fundadores da OSF, foi um dos pioneiros na compra de participações em empresas no Brasil.
O executivo alemão, que chegou ao país nos anos 1970, atuou na compra de subsidiárias de empresas que deixaram o país no início do governo Collor, entre elas a Mallory, controlada na época pela Black & Decker. Anos depois, com a volta dos investimentos estrangeiros a partir do Plano Real, Apostel se desfez das participações. Depois de passar a maior parte da década passada fazendo negócios na Europa, ele decidiu voltar ao país em meio ao grande interesse das gestoras de private equity nos mercados emergentes. "Após a crise, ficou inviável trabalhar com aquisições alavancadas, principal forma de atuação dos fundos no exterior", afirma.
Apostel está ciente de que não encontrará as mesmas oportunidades que teve no país na década de 1990. "Não esperamos comprar barato, mas alguns dos negócios realizados pelos fundos foram fechados a múltiplos altos demais", avalia. Com margem pequena para uma arbitragem de preços, a OSF espera obter resultados do "suor", ou seja, da melhora administrativa das empresas nas quais investirá. O executivo espera anunciar o primeiro negócio com o Morgan Stanley "nos próximos meses".
A área de private equity do banco americano já realizou um total de US$ 8 bilhões em investimentos em todo o mundo. Nos países emergentes, possui uma forte presença na Ásia, onde aplicou quase US$ 2,5 bilhões, mas vem ampliando as fronteiras de atuação. Recentemente, a instituição fechou um acordo semelhante no México, voltado especificamente para a área de energia.

http://www.morganstanley.com/about/press/articles/f2aa2c17-6d7d-48d1-b4ac-330414691be2.html